#criandomeufuturo · Para ler...

Um texto sobre liberdade

O que é liberdade pra você? Você se sente livre? Se não, o que te mantém preso?

Essas são questões que eu sempre me faço pra saber se estou no caminho certo. Respondendo a primeira pergunta, acredito que liberdade é ter o poder de escolher. Ou seja, poder morar aonde eu quero, comer o que eu quero, vestir o que eu quero, acordar quando eu quero… Pra mim, a equação que define o que é liberdade é: liberdade = tempo + dinheiro.

Hoje em dia, eu ainda não me sinto livre. Sei que tenho uma longa caminhada até a minha independência. Mas diferente de algum tempo atrás, hoje, eu tenho perspectiva. Hoje, eu fiquei mais consciente de quem eu sou e do que eu quero fazer.

Quando eu criei a hashtag “criandomeufuturo” eu estava numa posição bem diferente da que eu estou hoje. Estava ganhando dinheiro (e guardando – o que é o mais importante), trabalhando numa multinacional, estudando numa federal, tinha acabado de fechar um intercâmbio, estava fazendo curso de inglês… Eu sabia que aquilo não era o que eu queria fazer, mas era o que eu tinha que fazer. Naquele momento, eu estava em processo de recuperação de uma fase bem ruim e depressiva da minha vida. E aquilo tinha me dado um novo fôlego e motivos pra continuar. Até que eu fui demitida.

No momento que isso aconteceu eu perdi o chão, tive que cancelar o intercâmbio, o curso de inglês e até o Spotify. Eu não esperava por aquilo, porque tinha um contrato de um ano com a empresa. Eu tentei me manter firme no que ainda restava, mas um período pior e mais depressivo veio. Eu até arrumei um estágio numa agência de viagens, mas também não durou muito, eu só confirmei o que eu já sabia: que eu estava no caminho errado.

Então, eu decidi fazer o que era preciso fazer para conquistar a liberdade que eu quero, e o fato de ter decidido isso é que tá me dando forças pra não me entregar de novo.

Não vou dizer que é fácil, porque NÃO É! Eu preciso acordar todos os dias me lembrando que eu preciso fazer algo que vai ajudar a criar o futuro que eu quero, e na maioria dos dias, eu não quero fazer nada disso. Tem dias que eu só quero deitar no sofá e assistir Grey’s Anatomy o dia todo (e tem dias que eu faço isso mesmo). Mas treinei meu cérebro pra lembrar que, se eu ficar na minha zona de conforto, eu vou continuar presa e dependente. Então quando esse sentimento vem, eu vou me motivando até conseguir fazer o que eu preciso.

O que eu quero dizer com tudo isso, pra mim e pra vocês, é que, se você não desistir, você vai conseguir chegar num lugar melhor, você vai conseguir realizar seu sonho, e vai conseguir se tornar livre. Eu sei disso, e sei que você também sabe. Quando você tem poder de escolha, quando você se torna livre, sua vida muda, e isso não tem preço…

 

Desenvolvimento Pessoal · Para ler...

Padrão detectado

*Alerta de texto não motivacional, ou de que eu finjo que minha vida está nos trilhos*

Desde que eu era pequena eu tenho sonhos de realizar coisas grandes, de poder mudar completamente a minha realidade, mas eu nunca consegui.

Sempre que eu olho pro passado, eu vejo uma Melissa que tenta fazer várias coisas e nunca consegue ter sucesso em nada. Hoje em dia, descobri um padrão (pausa para dar a devida importância ao processo de autoconhecimento): eu adoro começar novos projetos, amo ideias novas e sempre acho que aquele projeto novo vai ser o que vai mudar minha vida; mas eu nunca termino nenhum, nunca avanço. Por que? Porque eu desisto. Simples assim.

Desistir tem sido um hábito pra mim, desde sempre. Então sempre que começa a ficar difícil, que eu tenho que agir, fazer algo que eu não gosto ou me dá medo, ou não está me dando resultados positivos imediatos, eu travo e desisto. E esse é o padrão de funcionamento do meu cérebro.

Eu não pretendo desanimar ninguém, mas grande parte da população é exatamente como eu. Ou eles nem começam a mudança, ou começam e desistem. Esse é o jeito que seus cérebros foram programados pra funcionar. E desse jeito parece que nada dá certo nunca.

O interessante é que eu consegui identificar isso, consegui descobrir o que me trava, e isso pode me ajudar a desconstruir esse padrão de funcionamento. É uma tarefa fácil? Hell no. Mas saber já é um começo. E com esse começo, aí sim, eu vou conseguir colocar minha vida nos trilhos. Hoje eu tinha duas opções: assistir Netflix a tarde toda, ou fazer um post. E eu gostei da escolha que eu fiz. Então, se você puder escolher entre desistir e permanecer, permaneça. Pode ser que você só não tenha tentado o suficiente…

#criandomeufuturo · Para ler...

Jornada

Há muito tempo atrás eu ouvi a canção “The Climb”, da Miley, e sempre gostei muito da melodia e da letra. Sabe aquela música que sempre foi e sempre vai ser uma das suas favoritas? Então, essa era ela, pra mim. Mas hoje ela me tocou de um jeito especial. Hoje, eu enxerguei o valor que ela tinha. Hoje, eu percebi que o caminho é mais importante que o destino. Definitivamente.

Nos últimos tempos, eu venho melhorando meu jeito de viver. Seja lendo mais livros (tanto que já finalizei 14 livros, só nesse semestre) ou, simplesmente, trocando um chá gelado com açúcar por um sem. Todas essas mudanças tem me fortalecido. E, é sobre isso que eu vim falar com você: sua jornada.

Não é que o resultado final não importa. Ele importa sim! Os seus sonhos são MUITO importantes! Mas o que mais importa é o que você vai fazer pra tornar eles realidade. É como você vai se preparar, e o quanto vai crescer nesse processo.

E, hoje, eu vim te falar que esse processo é maravilhoso, que o seu presente importa (porque é tudo o que você tem, já que o passado já passou, e o futuro ainda vai chegar). Vim aqui pra te falar que vale a pena se dedicar a ser melhor como pessoa, e que, se você fizer isso direito, vai poder mudar muitas vidas.

Faça um favor a você mesmo e não desperdice o seu dom. Caiu? Levanta. Tomou um não? Se acostuma, porque não vai ser o primeiro, nem o último. Veja o que é importante pra você e corra atrás do que você quer. Faça o que você sabe fazer melhor, invista dinheiro, inicie um negócio próprio, dance, viaje! Faça alguma coisa! Sua jornada é você quem faz, então escolha bem seu futuro, ou seja, seu “hoje” de amanhã. Ele depende das suas escolhas.  Então, se fortaleça e faça da sua a melhor jornada…

Não é sobre o quão rápido eu chego lá
Não é sobre o que está esperando do outro lado
É a escalada…

Para ler...

O problema não é 2016…

beautiful-boy-change-color-favim-com-4869530

A maioria das pessoas que eu conversei, nos últimos dias, disseram-me que o ano tinha sido péssimo (e esse é o adjetivo mais leve que eu encontrei para substituir o que eu realmente ouvi). Todas elas reclamaram, pediram para que esse ano acabasse logo e chamaram por 2017, como se quando chegasse meia-noite do dia primeiro de janeiro, a madrinha da Cinderela fosse aparecer pra resolver todos os seus problemas. E, meus caros, odeio o fato de ser eu a pessoa que vai te dizer isso, mas… O problema não é o ano, o problema é você. 

Recentemente, eu postei um outro texto dizendo que você é o fruto de suas escolhas, e o seu ano reflete exatamente isso. Não adianta usar determinada cor, pular ondinhas ou comer lentilha, se você não tiver um plano de ação. Essa expressão pode até soar meio empresarial, mas se você não sabe pra onde está indo, não vai chegar em lugar nenhum. 

Eu, Melissa, não sei qual é o seu sonho (nem se é singular, ou plural), mas você sabe. Ele pode até estar esquecido, mas eu tenho certeza de que ele está aí, preenchendo seus pensamentos como uma forma de escape. Então, se nesse final de ano você não colocar na ponta do lápis tudo o que quer, ou seja, se você não se planejar, muito provavelmente, você vai terminar 2017 do mesmo jeito: reclamando. 

E, também, se você fizer suas resoluções, mas não mover um dedo para realizá-las, nada vai mudar. N-A-D-A. Nadica de nada. Necas. Você vai continuar no mesmíssimo lugar de sempre. Ah, você também não vai ganhar na loteria, e outra, easy come, easy go. 

Então, se você quer mesmo um 2017 diferente, faça um favor a si mesmo e comece a agir. Crie novos hábitos. Leia mais livros. Aprenda mais. Aceite as oportunidades que a vida te dá. Pare de reclamar. E, por fim, assuma a responsabilidade da sua vida. Afinal, só você pode mudar sua realidade…

Para ler...

Não seja ordinário

sonhos1Como ser confiante e ter motivação? Como investir dinheiro? Como realizar sonhos? Ninguém aprende isso na escola. Ou você é esperto o suficiente para aprender essas coisas com as oportunidades que a vida te dá, ou você passa a se tornar apenas outra criatura buscando sobreviver. E, pasme, a grande maioria escolheu ser só criatura e nem sabe disso. Como eu sei? Eu perguntei…

Eu trabalho fechando negócios e expandindo mercado para uma marca. Nossa parceria consiste em números e sonhos. Ela obtém números, e eu ajudo pessoas a realizarem seus sonhos. E, eu não sei vocês, mas  eu acho que ajudar alguém a realizar um sonho é o melhor trabalho que se pode ter.

No fechamento de cada negociação eu pergunto qual é o sonho da pessoa. Quando elas sabem responder (porque, acredite, é  chocante a quantidade de gente que não sabe, ao menos, quais são seus sonhos), elas me falam que  querem uma casa, um carro, ganhar 5 mil reais por mês, viajar o mundo, terminar a faculdade… Logo em seguida, eu pergunto se ela acha que, fazendo o que ela faz agora, vai obter resultados diferentes, e elas dizem que não.

Então eu as apresento uma oportunidade de transformar suas vidas, e não só realizar seus sonhos, mas também os de outras pessoas. Todas acham a oportunidade incrível! Mas, a grande maioria das pessoas, acha que não se encaixa, acha que não tem tempo, ou acha que não tem capacidade para fazer. Elas acham tudo isso, deixam o medo vencer, e dizem não.

Essas mesmas pessoas, que dizem ter sonhos, colocam o emprego, o futebol, o churrasco, o Netflix e qualquer outra sorte de desculpa na frente de seus sonhos. E, agora, eu pergunto: você acha que eles, realmente, estão vivendo?

Eu tenho 20 anos, ainda estou na faculdade e amo minha zona de conforto. Mas você sabe aonde meu conforto vai me levar? Exato, a lugar nenhum. E é esse o problema das criaturas, elas simplesmente aceitam o que a vida dá e ficam presas a isso. Aceitam um trabalho que não gostam, cursos que elas não queriam fazer, trabalhar 8 horas por dia pra realizar o sonho dos outros… Aceitam uma vida que elas não gostariam de ter, e vivem se enganando, achando que por sorte ou descuido, seus sonhos vão se realizar sozinhos.

Então, se você me permite, vou te dar duas dicas (dicas, que vem me ajudando a construir a vida dos meus sonhos): tome a decisão de mudar sua vida, porque ninguém vai fazer isso por você; e, quando você tomar essa decisão, não desista dela. Trabalhe e não desista. Os extraordinários têm uma vida extraordinária porque trabalham, enquanto os ordinários dormem. A vida só dá certo pra quem não desiste. Então, por favor, não seja a pessoa que vai desistir dos seus sonhos.

Para ler...

Seja grato, mas continue lutando

A nossa vida é uma somatória de escolhas. Nada além disso. Você só está aonde está porque, em algum momento, direta ou indiretamente, escolheu estar aí. Seja essa situação boa ou não.

Essa percepção eu só adquiri quando assumi a responsabilidade da minha própria vida. E se você parar pra pensar, vai perceber também que ninguém tem culpa do que acontece (nem seus pais, nem seus amigos, nem a crise e nem o Temer).

Refleti sobre isso, recentemente, e vi que a conta das minhas escolhas está saindo cara demais. Não é que eu não goste da pessoa que eu sou hoje. Eu só acho que minha versão está desatualizada. Antigamente, o meu conjunto de características funcionava bem e se encaixava na minha realidade, mas, agora, eu sinto que preciso evoluir.

Não me entenda mal, eu sou grata por tudo o que tenho e sou hoje. Eu acho que combino comigo, mais do que eu jamais combinei. O único problema é que existem traços da minha personalidade que não combinam com os meus objetivos.

E, foi nesse momento de reflexão, que decidi lutar por aquilo que eu quero. Sabe por que? Porque eu não quero passar a vida desejando o  fim de semana, por não gostar do meu trabalho, não quero ficar reclamando, não quero ficar presa a coisas que não tenham a ver com o meu objetivo final.

Decidi que vou me dedicar ao meu trabalho (que, a propósito, já virou uma causa para mim), e a cuidar de mim, por dentro e por fora. Eu quero paz e ser feliz, então hoje eu decidi apenas agradecer, evoluir e me preparar pro futuro que estou criando…

 

Para ler...

Querido diário

art-book-journey-favim-com-4869572Boa noite,

Hoje eu acordei com o sono me fazendo lembrar da nossa conversa, nessa madrugada de chuva. Lembrei que continuo sem o meu parceiro. No decorrer do dia, o coração apertava e o estômago embrulhava a cada frase dele que eu lembrava. Mas, de qualquer jeito, tive que fazer o que eu tinha que fazer. Afinal, a vida tá acontecendo e alguém precisava fazer minha prova da faculdade.

Reparei que de tantas idas e voltas, a dor de o perder já era comum. Virou trauma. E aos poucos eu estou aprendendo a viver com ela. Então decidi seguir o conselho que ele me deu: vou focar em mim. E, por mim mesma, decidi ser minha melhor versão.

O que torna tudo mais frágil é que eu já experimentei situações parecidas. Eu já tomei essa decisão, e não só falhei em todas elas, como também deixei o medo de me decepcionar de novo me paralisar. E, no meio de tudo isso, sinto que preciso me vencer, para chegar onde eu quero. E embora esteja com medo de me frustrar novamente, eu vou mudar.

Eu quero ser alguém que eu admire, alguém que se superou e tem histórias boas para contar. Eu quero ser livre, independente e inspiradora. Quero acabar com as minhas desculpas. Quero paz e domínio próprio.

Agradeço tudo o que tenho e sou. Agradeço por ter conhecido ele e por essa possível última conversa. Agradeço pela boa nota que eu tirei, e por ter acordado hoje. E, também, agradeço por poder escrever e, com isso, poder organizar minhas ideias…